Príncipe (O) - Uma chave de leitura - livrariavozes
Buscar

Meu Carrinho ()

Finalizar Compra Continuar Comprando

Príncipe (O) - Uma chave de leitura

O Príncipe foi escrito por Nicolau Maquiavel em 1513 e a obra teve papel fundamental na construção do conceito de Estado. Maquiavel foi o primeiro intelectual a puxar a cortina da oligarquia florentina, escrevendo assim a “verdade efetiva” sobre a vida política. Ele fez isso através de seus tratados políticos, de seus dramas teatrais e finalmente, de uma história revolucionária de Florença. Para muitos a obra é considerada um tratado político que serviu como base para modelar a estrutura governamental dos tempos modernos. Apresenta uma das teorias políticas mais elaboradas pelo pensamento humano e que tem grande influência em descrever o Estado.

Ver mais informações

Por: R$ 70,00ou X de

Comprar
Adicionar ao carrinho

Calcule o frete e prazo de entrega.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Compartilhe:

Aproveite e Compre Junto

Detalhes do produto

Resumo

Sumário

Ficha técnica

Especificações

SumarioSumario
1 Contexto, 11
2 Visao geral, 45
3 A seducao de um principe, 56
4 Adquirir o Estado, 63
5 Assegurar a sociedade, 89
6 Armar o povo, 106
7 O novo principe atraves do espelho, 116
8 Desarmar a fortuna e armar o ceu, 145
9 Recepcao e influencia, 170
Notas para leituras adicionais, 193
Referencias selecionadas, 201
Indice onomastico, 213
Indice remissivo, 223
ISBN9788532654434
Dimensoes14.0cm x 19.0cm x 1.1cm
IdiomaPortuguês
Edicao1
NrPaginas232

especificação

AutorMiguel Vatter,
EditoraEditora Vozes
ColecoesCHAVE DE LEITURA
Sumário
1 Contexto, 11
2 Visão geral, 45
3 A sedução de um príncipe, 56
4 Adquirir o Estado, 63
5 Assegurar a sociedade, 89
6 Armar o povo, 106
7 O novo príncipe através do espelho, 116
8 Desarmar a fortuna e armar o céu, 145
9 Recepção e influência, 170
Notas para leituras adicionais, 193
Referências selecionadas, 201
Índice onomástico, 213
Índice remissivo, 223

Avaliações do Produto

Dúvidas dos consumidores

Quem viu, viu também