Ser e tempo - livrariavozes
Buscar

Meu Carrinho ()

Finalizar Compra Continuar Comprando

Ser e tempo

Esta é uma obra nova que contém a junção dos dois volumes anteriores. Este é um clássico do filósofo alemão Martin Heidegger, que continua sendo fundamental para aquele indivíduo que pretende conhecer e entender o ser humano de forma integral. A longa trajetória mental deste autor rendeu uma valiosa contribuição intelectual para a humanidade. "Ser e tempo" ultrapassa em muito uma simples obra de filosofia. Esta é uma edição elaborada pela Editora Vozes e a Editora Universitária São Francisco, que contém ainda um glossário em alemão-português, português-alemão.

Ver mais informações

Por: R$ 160,00ou X de

Comprar
Adicionar ao carrinho

Calcule o frete e prazo de entrega.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Compartilhe:

Aproveite e Compre Junto

Detalhes do produto

Resumo

Sumário

Ficha técnica

Especificações

SumarioA perplexidade da presenca 15
Observacao preliminar a 7a edicao, 1953 33
INTRODUCAO
Exposicao da questao sobre o sentido de ser
PRIMEIRO CAPITULO
Necessidade, estrutura e primado da questao do ser
§ 1 Necessidade de uma retomada explicita da
questao do ser 37
§ 2 A estrutura formal da questao do ser 40
§ 3 O primado ontologico da questao do ser 44
§ 4 O primado ontico da questao do ser 47
SEGUNDO CAPITULO
A dupla tarefa na elaboracao da questao do ser
O metodo e o sumario da investigacao
§ 5 A analitica ontologica da presenca como
liberacao do horizonte para uma interpretacao
do sentido de ser em geral 52
§ 6 A tarefa de uma destruicao da historia da
ontologia 57
§ 7 O metodo fenomenologico da investigacao 65
A O conceito de fenomeno 67
B O conceito de logos 71
C O conceito preliminar de fenomenologia 74
§ 8 O sumario do tratado 79
PRIMEIRA PARTE
A interpretacao da presenca pela temporalidade e a
explicacao do tempo como horizonte transcendental da
questao do ser
PRIMEIRA SECAO
Analise preparatoria dos fundamentos da presenca 83
PRIMEIRO CAPITULO
Exposicao da tarefa de uma analise preparatoria da presenca
§ 9 O tema da analitica da presenca 85
§ 10 A delimitacao da analitica da presenca face a
antropologia, psicologia e biologia 89
§ 11 A analitica existencial e a interpretacao da
presenca primitiva As dificuldades para se obter
um “conceito natural de mundo” 95
SEGUNDO CAPITULO
O ser-no-mundo em geral como constituicao fundamental
da presenca
§ 12 Caracterizacao previa do ser-no-mundo a partir
do ser-em como tal 98
§ 13 Exemplo do ser-em num modo derivado O
conhecimento do mundo 106
TERCEIRO CAPITULO
A mundanidade do mundo
§ 14 A ideia de mundanidade do mundo em geral 110
A Analise da mundanidade circundante e da
mundanidade em geral 114
§ 15 O ser dos entes que vem ao encontro no
mundo circundante 114
§ 16 A determinacao mundana do mundo circundante
que se anuncia no ente intramundano 121
§ 17 Referencia e sinal 126
§ 18 Conjuntura e significancia: a mundanidade do
mundo 133
B Contraposicao da analise da mundanidade a
interpretacao de mundo de Descartes 139
§ 19 A determinacao de “mundo” como
res extensa 140
§ 20 Os fundamentos da determinacao ontologica
de “mundo” 143
§ 21 A discussao hermeneutica da ontologia
cartesiana de “mundo” 147
C O circundante do mundo circundante e a
espacialidade da presenca 154
§ 22 A espacialidade do manual intramundano 155
§ 23 A espacialidade do ser-no-mundo 158
§ 24 A espacialidade da presenca e o espaco 164
QUARTO CAPITULO
O ser-no-mundo como ser-com e ser-si mesmo O “impessoal”
§ 25 O ponto de partida da questao existencial sobre
o quem da presenca 170
§ 26 A copresenca dos outros e o ser-com
cotidiano 173
§ 27 O ser-si mesmo cotidiano e o impessoal 183
QUINTO CAPITULO
O ser-em como tal
§ 28 A tarefa de uma analise tematica do ser-em 189
A A constituicao existencial do pre 193
§ 29 A presenca como disposicao 193
§ 30 O medo como um modo de disposicao 199
§ 31 A presenca como compreender 202
§ 32 Compreender e interpretacao 209
§ 33 O enunciado como modo derivado da
interpretacao 215
§ 34 Presenca e fala A linguagem 223
B O ser cotidiano do pre e a decadencia da
presenca 230
§ 35 A falacao 231
§ 36 A curiosidade 234
§ 37 A ambiguidade 237
§ 38 A decadencia e o estar-lancado 240
SEXTO CAPITULO
A cura como ser da presenca
§ 39 A questao da totalidade originaria do todo
estrutural da presenca 246
§ 40 A disposicao fundamental da angustia como
abertura privilegiada da presenca 250
§ 41 O ser da presenca como cura 258
§ 42 A confirmacao da interpretacao existencial da
presenca como cura a partir da propria interpretacao
pre-ontologica da presenca 264
§ 43 Presenca, mundanidade e realidade 268
a) Realidade como problema do ser e da possibilidade
de comprovacao do “mundo externo” 270
b) Realidade como problema ontologico 278
c) Realidade e cura 281
§ 44 Presenca, abertura e verdade 282
a) O conceito tradicional de verdade e seus
fundamentos ontologicos 284
b) O fenomeno originario da verdade e o carater
derivado do conceito tradicional de verdade 289
c) O modo de ser da verdade e a pressuposicao de
verdade 298
SEGUNDA SECAO
Presenca e temporalidade
§ 45 O resultado da analise preparatoria dos
fundamentos da presenca e a tarefa
ISBN9788532632845
Dimensoes13.7cm x 21.0cm x 2.7cm
IdiomaPortugues
Edicao10
NrPaginas600

especificação

AutorMartin Heidegger,
EditoraEditora Vozes
ColecoesPENSAMENTO HUMANO
A perplexidade da presença 15
Observação preliminar à 7a edição, 1953 33
INTRODUÇÃO
Exposição da questão sobre o sentido de ser
PRIMEIRO CAPÍTULO
Necessidade, estrutura e primado da questão do ser
§ 1 Necessidade de uma retomada explícita da
questão do ser 37
§ 2 A estrutura formal da questão do ser 40
§ 3 O primado ontológico da questão do ser 44
§ 4 O primado ôntico da questão do ser 47
SEGUNDO CAPÍTULO
A dupla tarefa na elaboração da questão do ser
O método e o sumário da investigação
§ 5 A analítica ontológica da presença como
liberação do horizonte para uma interpretação
do sentido de ser em geral 52
§ 6 A tarefa de uma destruição da história da
ontologia 57
§ 7 O método fenomenológico da investigação 65
A O conceito de fenômeno 67
B O conceito de logos 71
C O conceito preliminar de fenomenologia 74
§ 8 O sumário do tratado 79
PRIMEIRA PARTE
A interpretação da presença pela temporalidade e a
explicação do tempo como horizonte transcendental da
questão do ser
PRIMEIRA SEÇÃO
Análise preparatória dos fundamentos da presença 83
PRIMEIRO CAPÍTULO
Exposição da tarefa de uma análise preparatória da presença
§ 9 O tema da analítica da presença 85
§ 10 A delimitação da analítica da presença face à
antropologia, psicologia e biologia 89
§ 11 A analítica existencial e a interpretação da
presença primitiva As dificuldades para se obter
um “conceito natural de mundo” 95
SEGUNDO CAPÍTULO
O ser-no-mundo em geral como constituição fundamental
da presença
§ 12 Caracterização prévia do ser-no-mundo a partir
do ser-em como tal 98
§ 13 Exemplo do ser-em num modo derivado O
conhecimento do mundo 106
TERCEIRO CAPÍTULO
A mundanidade do mundo
§ 14 A ideia de mundanidade do mundo em geral 110
A Análise da mundanidade circundante e da
mundanidade em geral 114
§ 15 O ser dos entes que vêm ao encontro no
mundo circundante 114
§ 16 A determinação mundana do mundo circundante
que se anuncia no ente intramundano 121
§ 17 Referência e sinal 126
§ 18 Conjuntura e significância: a mundanidade do
mundo 133
B Contraposição da análise da mundanidade à
interpretação de mundo de Descartes 139
§ 19 A determinação de “mundo” como
res extensa 140
§ 20 Os fundamentos da determinação ontológica
de “mundo” 143
§ 21 A discussão hermenêutica da ontologia
cartesiana de “mundo” 147
C O circundante do mundo circundante e a
espacialidade da presença 154
§ 22 A espacialidade do manual intramundano 155
§ 23 A espacialidade do ser-no-mundo 158
§ 24 A espacialidade da presença e o espaço 164
QUARTO CAPÍTULO
O ser-no-mundo como ser-com e ser-si mesmo O “impessoal”
§ 25 O ponto de partida da questão existencial sobre
o quem da presença 170
§ 26 A copresença dos outros e o ser-com
cotidiano 173
§ 27 O ser-si mesmo cotidiano e o impessoal 183
QUINTO CAPÍTULO
O ser-em como tal
§ 28 A tarefa de uma análise temática do ser-em 189
A A constituição existencial do pre 193
§ 29 A presença como disposição 193
§ 30 O medo como um modo de disposição 199
§ 31 A presença como compreender 202
§ 32 Compreender e interpretação 209
§ 33 O enunciado como modo derivado da
interpretação 215
§ 34 Presença e fala A linguagem 223
B O ser cotidiano do pre e a decadência da
presença 230
§ 35 A falação 231
§ 36 A curiosidade 234
§ 37 A ambiguidade 237
§ 38 A decadência e o estar-lançado 240
SEXTO CAPÍTULO
A cura como ser da presença
§ 39 A questão da totalidade originária do todo
estrutural da presença 246
§ 40 A disposição fundamental da angústia como
abertura privilegiada da presença 250
§ 41 O ser da presença como cura 258
§ 42 A confirmação da interpretação existencial da
presença como cura a partir da própria interpretação
pré-ontológica da presença 264
§ 43 Presença, mundanidade e realidade 268
a) Realidade como problema do ser e da possibilidade
de comprovação do “mundo externo” 270
b) Realidade como problema ontológico 278
c) Realidade e cura 281
§ 44 Presença, abertura e verdade 282
a) O conceito tradicional de verdade e seus
fundamentos ontológicos 284
b) O fenômeno originário da verdade e o caráter
derivado do conceito tradicional de verdade 289
c) O modo de ser da verdade e a pressuposição de
verdade 298
SEGUNDA SEÇÃO
Presença e temporalidade
§ 45 O resultado da análise preparatória dos
fundamentos da presença e a tarefa

Avaliações do Produto

Dúvidas dos consumidores

Quem viu, viu também