Sobre a mentira - Ed. Bolso - livrariavozes
Buscar

Meu Carrinho ()

Finalizar Compra Continuar Comprando

Sobre a mentira - Ed. Bolso

É necessário compreender o que seja a mentira. Pois não é todo aquele que diz algo falso que está mentindo, se crê ou opina ser verdade o que diz. Crer e opinar são diferentes nisto: à vezes aquele que crê sente que não tem conhecimento daquilo em que acredita – mesmo que não duvide em hipótese alguma que não saiba aquilo que ignora, se crê firmemente. Porém, quem opina, julga saber o que desconhece. Ora, quem quer que enuncie algo que, em sua mente, tenha acreditado ou opinado, mesmo que seja falso, não mente. Pois deve isso à enunciação de sua fé: profere, por meio dela, aquilo que tem em mente e acredita ser como profere.

Ver mais informações

Por: R$ 16,90

Preço a vista: R$ 16,90

Comprar
Adicionar ao carrinho

Calcule o frete e prazo de entrega.

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Compartilhe:

Aproveite e Compre Junto

Detalhes do produto

Resumo

Sumário

Ficha técnica

Especificações

SumarioDificuldade do assunto a ser examinado, 9
Piadas nao sao mentiras, 10
O que e a mentira. Se, para mentir, e necessario ou
suficiente que exista a vontade de enganar, 10
Porque mentir as vezes pode ser util ou licito, 12
Se uma mentira poderia ser util ocasionalmente e
uma questao muito maior e necessaria, 15
A opiniao segundo a qual as vezes se deve mentir, 16
A opiniao segundo a qual nunca se deve mentir, 17
Os exemplos a favor da mentira retirados do Antigo
Testamento sao postos por terra, 17
Nao ha exemplo de mentira a disposicao no Novo
Testamento. A circuncisao de Timoteo nao foi
simulada. Pedro foi corrigido de bom grado por
Paulo, 19
A mentira nao e autorizada, seja pela vida comum,
seja pelos exemplos das Escrituras, 22
A mentira e uma iniquidade que leva a alma a
morte e nao deve ser admitida nem mesmo em prol
da salvacao temporal de alguem, 22
Nao se deve mentir para defender a castidade
levando-se em conta a luxuria, 25
Nao se deve mentir com a intencao de ajudar outras
pessoas a se salvar, 27
Alguns opinam que a mentira deve ser permitida
quando afasta um homem da possibilidade de ser violentado sexualmente por outro, 28
Esse argumento e exemplo sao refutados, 29
Os pecados dos outros nao devem ser imputados
aquele que pode impedi-los com um pecado mais
leve. Nao e cumplice dos pecadores aquele que nao
deseja pecar para coibi-los. Cada um deve antes
evitar seus proprios pecados mais leves do que os
mais pesados dos outros, 30
Acaso nao se deve mentir para evitar a impureza do
corpo?, 32
As mentiras que prejudicam outras pessoas nao
devem ser admitidas para evitar a impureza do
corpo, 34
A mentira nunca e permitida no que diz respeito a
doutrina religiosa, 35
Mentiras que nao prejudicam ninguem e podem ser
uteis quando aceitas, 37
Se existem mentiras honestas que nao sao beneficas
nem prejudicam quem quer que seja, 38
Dar falso testemunho sempre equivale a mentir?, 39
O falso testemunho e a mentira, 40
E possivel mentir para nao entregar um homicida
ou um inocente que esta sendo procurado para ser
justicado?, 40
O Bispo Firmo de Tagaste nao quis mentir nem
trair e foi capaz de suportar tormentos, 42
O que responderas quando, ciente do paradeiro,
fores interrogado sobre alguem que esta sendo
procurado para ser morto, 43
Oito tipos de mentira, 44
Porventura se deve mentir quando uma condicao
inevitavel e proposta, 46
Nesse caso, devem ser levadas em consideracao as
santas autoridades, que proibem a mentira, e os
ensinamentos que se derivam das acoes dos santos, 46
O preceito que ordena oferecer a outra face, 48
O preceito de nao jurar por motivo algum, 48
O preceito de nao pensar no amanha, 49
O preceito segundo o qual os apostolos deveriam
nada levar em suas viagens, 50
A boca duplice de voz e coracao: sobre essa boca
seja dito: A boca que mente etc., 51
O Evangelho tambem menciona uma boca do
coracao, 52
Se somente e proibida aquela mentira com a qual se difama alguem, 53
O vers. 7 do Sl 5 tambem deve ser entendido de tres
modos, 54
Esta escrito: Destrois todos os que falam a mentira, 56
Como deve ser entendido o preceito que proibe dar
falso testemunho, 57
Como se deve interpretar outra passagem da
Escritura, 58
O que foi encontrado ate o momento a respeito dos
dois lados da investigacao precedente, 58
O erro na avaliacao do mal nasce da parcialidade e
do costume. Os dois lados de nossa vida, 60
Os pecados menores: se acaso sao admitidos
nao pela utilidade temporal, mas talvez para a
conservacao da santidade, 61
O pudor em relacao ao corpo, a integridade
da alma e a verdade da doutrina devem ser
conservados em favor da santidade, 63
O pudor do corpo nao e motivo para mentir.
Quando a fe e declarada.A pureza da alma, 64
Epilogo, 66
Os defensores da mentira sao como cegos, 68
Notas, 71
ISBN9788532659071
Dimensoes11.0cm x 18.0cm x 0.5cm
Edicao1
NrPaginas80

especificação

AutorSanto Agostinho ,
EditoraVozes de Bolso
Dificuldade do assunto a ser examinado, 9
Piadas não são mentiras, 10
O que é a mentira. Se, para mentir, é necessário ou
suficiente que exista a vontade de enganar, 10
Porque mentir às vezes pode ser útil ou lícito, 12
Se uma mentira poderia ser útil ocasionalmente é
uma questão muito maior e necessária, 15
A opinião segundo a qual às vezes se deve mentir, 16
A opinião segundo a qual nunca se deve mentir, 17
Os exemplos a favor da mentira retirados do Antigo
Testamento são postos por terra, 17
Não há exemplo de mentira à disposição no Novo
Testamento. A circuncisão de Timóteo não foi
simulada. Pedro foi corrigido de bom grado por
Paulo, 19
A mentira não é autorizada, seja pela vida comum,
seja pelos exemplos das Escrituras, 22
A mentira é uma iniquidade que leva a alma à
morte e não deve ser admitida nem mesmo em prol
da salvação temporal de alguém, 22
Não se deve mentir para defender a castidade
levando-se em conta a luxúria, 25
Não se deve mentir com a intenção de ajudar outras
pessoas a se salvar, 27
Alguns opinam que a mentira deve ser permitida
quando afasta um homem da possibilidade de ser violentado sexualmente por outro, 28
Esse argumento e exemplo são refutados, 29
Os pecados dos outros não devem ser imputados
àquele que pode impedi-los com um pecado mais
leve. Não é cúmplice dos pecadores aquele que não
deseja pecar para coibi-los. Cada um deve antes
evitar seus próprios pecados mais leves do que os
mais pesados dos outros, 30
Acaso não se deve mentir para evitar a impureza do
corpo?, 32
As mentiras que prejudicam outras pessoas não
devem ser admitidas para evitar a impureza do
corpo, 34
A mentira nunca é permitida no que diz respeito à
doutrina religiosa, 35
Mentiras que não prejudicam ninguém e podem ser
úteis quando aceitas, 37
Se existem mentiras honestas que não são benéficas
nem prejudicam quem quer que seja, 38
Dar falso testemunho sempre equivale a mentir?, 39
O falso testemunho e a mentira, 40
É possível mentir para não entregar um homicida
ou um inocente que está sendo procurado para ser
justiçado?, 40
O Bispo Firmo de Tagaste não quis mentir nem
trair e foi capaz de suportar tormentos, 42
O que responderás quando, ciente do paradeiro,
fores interrogado sobre alguém que está sendo
procurado para ser morto, 43
Oito tipos de mentira, 44
Porventura se deve mentir quando uma condição
inevitável é proposta, 46
Nesse caso, devem ser levadas em consideração as
santas autoridades, que proíbem a mentira, e os
ensinamentos que se derivam das ações dos santos, 46
O preceito que ordena oferecer a outra face, 48
O preceito de não jurar por motivo algum, 48
O preceito de não pensar no amanhã, 49
O preceito segundo o qual os apóstolos deveriam
nada levar em suas viagens, 50
A boca dúplice de voz e coração: sobre essa boca
seja dito: A boca que mente etc., 51
O Evangelho também menciona uma boca do
coração, 52
Se somente é proibida aquela mentira com a qual se difama alguém, 53
O vers. 7 do Sl 5 também deve ser entendido de três
modos, 54
Está escrito: Destróis todos os que falam a mentira, 56
Como deve ser entendido o preceito que proíbe dar
falso testemunho, 57
Como se deve interpretar outra passagem da
Escritura, 58
O que foi encontrado até o momento a respeito dos
dois lados da investigação precedente, 58
O erro na avaliação do mal nasce da parcialidade e
do costume. Os dois lados de nossa vida, 60
Os pecados menores: se acaso são admitidos
não pela utilidade temporal, mas talvez para a
conservação da santidade, 61
O pudor em relação ao corpo, a integridade
da alma e a verdade da doutrina devem ser
conservados em favor da santidade, 63
O pudor do corpo não é motivo para mentir.
Quando a fé é declarada.A pureza da alma, 64
Epílogo, 66
Os defensores da mentira são como cegos, 68
Notas, 71

Avaliações do Produto

Dúvidas dos consumidores

Quem viu, viu também